A promessa é deles. A dívida é nossa.


Você, amigo internauta, provavelmente conhece o significado de promessa. 

Mas, se algum centímetro de dúvida ainda persiste na cachola, esqueça o Google, avance alguns metros em direção à calçada da sua casa e pergunte para o primeiro cidadão que avistar qual o significado de promessa - algumas definições são mais claras e confiáveis quando ouvimos do que quando lemos.

É dívida, dirá o cidadão.

E se você esticar um pouquinho mais a prosa e indagá-lo com um "e"...

Tem que pagar, completará o nobre cidadão.

Pronto. É isso aí mesmo. Promessa é dívida, e tem que pagar.

Bem, necessário não é, mas se você, caro internauta, desejar tirar a prova dos nove, poderá repetir a simples perguntinha para o vizinho; para o  taxista; para a moça do supermercado; para o padre da paróquia; para o bebum...

Promessa é dívida, e tem que pagar. De forma clara, é o que todos dirão - como aquele primeiro cidadão que você papeou lá na calçada -, porém, e pode acreditar nisso, as respostas serão bem mais confiáveis do que o rápido Google.

Ah!, um momento. Como toda regra há exceção, somente não inclua no seu rol de entrevistados um sujeitinho que responde pelo nome de político. O cara não é nada claro tampouco confiável - deste a ferramenta Google ganha de goleada - primeiro porque você nunca saberá qual a máscara que veste a cara desses filhos da..., segundo porque esses filhos da... mentem de cara lavada.

Portanto, esses filhos "daquela", apesar de entupirem os nossos ouvidos com tantas promessas quando estão desfilando nos palanques, não as reconhecem mais uma vez quando repousado o rabo nos confortáveis gabinetes: federal, estaduais e municipais.

Logo, só pode ser mesmo um grande filho da... quem promete com prazo de validade. E se a promessa expira para essa corja, não há dívida alguma. Não havendo dívida não há o que se pagar.

É exatamente isso o que está acontecendo com o andamento das obras de infraestrutura e construção de estádios para a realização do Mundial. Tudo aquilo que se prometeu, para a sofrida população brasileira, - como melhoria de aeroportos, transporte público, mobilidade urbana, por exemplo - como o grande legado da realização da Copa do Mundo de 2014 e que já deveria, em sua grande maioria, já estar sendo desfrutada, estão todas rigorosamente atrasadas.

Salvo raríssimas exceções, como aponta levantamento do jornal "Estado de São Paulo" que mostra que, das 82 obras de infraestrutura - com responsabilidades firmadas em 2010 - somente três se mantiveram dentro dos prazos de execução.

Uma vez que a promessa "do grande legado" fora feita quando esses políticos filhos da... já repousavam seus belos traseiros nas cadeiras executivas, e como o Mundial será mesmo realizado, é óbvio que a promessa será cumprida, já a dívida...

É óbvio que a letargia das obras - sinônimo de mal planejamento - é algo proposital, que segue a risca a péssima tradição da política brasileira de deixar tudo pra última hora. Deixar o tal "caráter emergencial" emergir para, assim, passar rasteira nos processos de licitação e abrir a avenida da maldita corrupção. Esta é a dívida que nela pretendem faturar.

Para finalizar:

A Copa é promessa, é uma grande dívida. E vai sim ser paga.

Mas não pelos filhos da p...., eles não reconhecem nada, não pagam nada.

A dívida é nossa.

Minha; sua; do querido vizinho; do educado taxista; da bonita moça do supermercado; do engraçado bebum...

Tem dúvidas disso?

Então, além de perguntar para aquele nobre cidadão da calçada o que é promessa, aproveite o ensejo e pergunte também quem pagará a conta da Copa.

Com toda a certeza, esta resposta não estará listada nas páginas de resultado do Google.

Nem sairá do belo sorriso de um político filho da... Mas você não perderá seu tempo perguntando pra ele, vai?

My Great Web page